terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Sagrado feminino



Meus queridos amados, é com uma enorme honra que me dirijo hoje a vocês. Apesar de muito valorizar os homens e toda a energia do sagrado masculino, hoje dirigimos sobretudo às mulheres. Às mulheres lutadoras, às mulheres guerreiras que carregam dentro de si muito dessa energia de força e luta masculina e que trabalham em duas grandes frentes, tanto como trabalhadoras como protetores da casa e do lar. 

Amigas irmãs, eu também lutei e não me sinto menos feminina por isso. Muitas das nossas amarras começaram a soltar-se e felizmente são cada vez as mulheres que elevam a sua voz e nos inspiram com a sua bravura e coragem. Chegou o momento de retomarmos o nosso lugar, de sermos tão igualmente valorizadas pela nossa essência, como o arquétipo masculino.
 
É tão sagrado o cuidado com o lar, como o é alimentar uma família. É tão sagrado uma carreira de respeito, como o é a desistência do lado profissional em detrimento do familiar. É tão sagrado escolher ser mãe, como é escolher outros caminhos e outras lutas. Nada vos é imposto minhas queridas e são vocês que devem escolher as vossas lutas e o vosso caminho. O único critério para as vossas escolhas deverá ser o amor, pois toda e qualquer batalha requer esforço, luta e dedicação e muitas das vezes privação, entrega e espírito de sacrifico. Só com a entrega plena no amor poderão lutar com a vossa bravura sem sentirem que alguém está a tirar um bocado de vós. 
 
Queridas amadas, aceitem-se como são e aceitem as vossas lutas de cabeça erguida, com a coragem que vos é tão caraterística, pois todas vocês são abençoadas por mim. Todas as mulheres que lutam hoje no mundo por uma vida melhor, por terem direito à sua voz, ao seu corpo, aos seus pensamentos, a tomar as suas próprias decisões, todas vós eu abençoo, pois, a coragem e persistência são caraterísticas nada menos que divinas. 

Quando a luta estiver difícil, sintam a minha presença dentro de vosso coração e lembrem-se que também eu lutei pelo direito de ser quem sou e por tudo aquilo que sempre acreditei e acredito. Saibam que ao fazerem o mesmo estão honrando o meu nome e a poderosa energia feminina que se move dentro de vós. 

Sintam-se honradas pela minha presença da mesma forma que me sinto honrada por todo o vosso esforço, pois, apesar de toda a submissão que vos submeterem, continuam de cabeça erguida na luta pelos vossos direitos e igualdades. Mas lembrem-se sempre, esse esforço e essa luta só poderão ser válidos se forem feitos com amor e pelo amor. Pelo bem-estar comum vosso e de todos aqueles que vos rodeiam, de todos aqueles que precisam ser abençoados pela vossa força e a vossa luz. Só assim toda e qualquer batalha poderá valer a pena.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

De 19 a 25 de Fevereiro



A carta da semana é XIX – O Sol, representada pela Deusa Amaterasu, Deusa Japonesa do Sol. A frase que a define é a seguinte: “Semicerra os olhos ou ficarás cego perante a minha beleza. Eu sou a luz que ilumina o mundo, o calor que gera a vida e a boa saúde.”

Porque depois da tempestade vem sempre a bonança, esta é a carta que esperávamos depois de uma semana bastante atribulada. Na semana passada com o 10 de espadas foi-nos pedido para encerrarmos alguns processos mentais que estavam a ser nocivos para nós. Agora, para o quem o fez, poderá substituir todo esse vazio por esta luz abençoada que nos chega esta semana. 

Conselho: esta será uma semana luminosa e cheia de triunfo. Sempre que lhe for possível vá até o exterior e sinta apenas a energia do sol a aquecer a sua pele. Deixe que a luz invada o seu ser e recarregue energias para novas etapas e desafios que se aproximam.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

De 12 a 18 de Favereiro



A carta da semana é o 10 de espadas, representada pela Ninfa Sakuntala, ninfa indiana do azar. As frases que a definem são as seguintes: “Eu sou vítima inocente de uma maldição cruel. Estou sozinha, com medo e desesperada nesta floresta sombria. Quem sabe o que será de mim…” 

Esta poderá ser uma semana onde sente que tudo e todos estão contra si, mas por vezes isso são apenas ideias da mente e não tem que corresponder necessariamente à verdade. Esta é também uma carta de fim de ciclo, onde poderá ser necessário fechar algumas portas ou terminar questões pendentes.

Conselho: se se sentir desta forma tente respirar um pouco e libertar-se desse sentimento de vítima. Aproveite esta fase para se libertar de tudo aquilo que é exterior a si e o atormenta. Não permita que esses pensamentos roubem a sua paz de espírito.